quinta-feira, 22 de setembro de 2022 - 22/09/2022 22:28:03
Nice Content News

Ter a sua própria marca vai muito além de questões como criar um logo (ainda que isto seja essencial), é preciso também criar uma identidade única para o que sua marca busca expressar – afinal, produtos podem ser copiados aos montes e muitos especialistas concordam que na maior parte do tempo estamos lidando mesmo é com commodities, então encontrar uma voz e identidade únicas para o seu produto, com certeza fará a diferença. E é aí que o branding entra.

Se você tem algum interesse em marketing e publicidade, com certeza já viu a palavra branding sendo usada a torto e a direito por aí – em palestras ou cursos dedicados ao tema, dentro da faculdade e por aí vai. É um daqueles termos tão usados que o seu significado acaba sendo meio vago e tentar explicar pode acabar gerando uma confusão ainda maior, mesmo para quem tem formação e experiência na área.

O que este artigo aborda:

O que é branding?

Se formos nos ater a uma definição simples, basta dizer que branding é uma série de ações em torno de uma marca que combina seu propósito, valores e posicionamento, com o objetivo de criar conexões com o público-alvo (clientes), independente destas conexões serem conscientes ou não, conexões estas que farão toda a diferença na hora de escolher um produto ou serviço – sabe quando alguém pergunta algo do tipo “qual o primeiro banco digital que vêm à sua mente?” e você pensa no banco XYZ? Você lembra do banco XYZ porque certamente o branding da empresa deu certo em algum momento. Tendências vem e vão, mas essa ideia de conexão nunca sai de moda.

Produto x Marca

Mas voltar antes a um conceito ainda mais básico: produto. Em linhas gerais, um produto pode ser definido como qualquer item ou serviço que pode ser oferecido a determinado público visando satisfazer um desejo ou necessidade – estamos falando coisas tão diferentes entre si como bens de consumo, experiências, eventos, informações, e até mesmo ideias. Escovas de dente, pacotes de viagens, refrigerantes, videogames, um curso a respeito de um tema de seu interesse, todos estes são alguns exemplos corriqueiros de produtos, ou seja, de coisas que podem ser vendidas ou comercializadas de alguma forma. 

Peguemos o exemplo da água enquanto produto para discutirmos o conceito de branding mais a fundo. Água é um recurso natural necessário à vida, até aí todos sabemos, mas este mesmo recurso tornou-se um produto a partir do instante em que outras pessoas e posteriormente empresas passaram a comercializar esta mesma água, em variados formatos. Água não tem gosto, cheiro ou cor, então como diabos essas empresas poderiam se diferenciar umas das outras se vendem, essencialmente, o mesmo produto? A resposta, meus amigos, está no branding, o processo de criar uma marca e conferir características únicas à mesma.

Conceito de branding

Marca, por sua vez, pode ser definida como um nome, termo, desenho, símbolo ou quaisquer outras características que identifiquem o produto de determinada empresa, que o distinga de seus concorrentes. Podemos pensar na marca como o conjunto de ideias e impressões que um indivíduo tem a respeito de um certo produto, serviço e assim por diante, em termos práticos ou emocionais (pense em uma Coca-Cola gelada, você sabe qual é o sabor da bebida, e sabe também como se sente ao tomar uma coquinha bem gelada, por exemplo).

O papel do branding dentro da sua empresa

Cabe ao branding conferir personalidade à sua marca, e por extensão, ao seu produto, ao criar significados e experiências para seus consumidores, facilitando não só a identificação da sua marca, mas também dando motivos para que as pessoas queiram, de fato, consumi-la. É dar ao público motivo para que escolha a sua empresa, ao deixar claro o que a faz única em relação às demais.

E para ser bem-sucedido nessa missão, o branding deve operar de maneira consistente ao longo de toda uma série de ações delineadas pela equipe de marketing da empresa – combinam-se elementos como logotipos, missão, visão e valores, bem como uma temática constante, a serem ecoados por toda a comunicação feita pela empresa. O branding é quem dita como a sua marca deve se portar nas redes sociais, por exemplo.

Cabe aqui também deixar clara a diferença (se é que já não está) – seu produto não é a sua marca, ao menos não em termos de marketing, e é a sua marca que ajudará a alavancar seu produto em um primeiro momento, tendo em vista que produtos semelhantes temos aos montes no mercado, mas a sua marca, esta sim deve se esforçar para ser única.

Conclusão

Para pensar o branding, também devemos considerar os meios em que este será aplicado – sua presença online e física, ainda que se complementem, operam com base em diferentes elementos. A palavra de ordem, porém, é consistência: sua comunicação deve seguir a mesma linha em sites, redes sociais, e-mails e afins, já no contexto físico, pense em como seu cliente terá acesso ao seu produto e como será a sua experiência, mas sempre com a consistência em mente. A aplicação correta de alguns dos conceitos discutidos aqui, assim como um bem-vindo aprofundamento nestas ideias, com certeza ajudarão seu produto e marca a se destacarem no cenário atual.

Lucas Ferraz

Consultor de marketing digital, especialista em SEO, aumento de tráfego e geração leads. Certificado pela Blue Array Academy e pela SEMRush.

1

Pode ser do seu interesse

Feedback do cliente: quando e como registrar?

Feedback do cliente: quando e como registrar?

Por que contratar uma agência de SEO? Veja 4 motivos

Por que contratar uma agência de SEO? Veja 4 motivos

Como atrair mais visitantes para o seu site – 5 métodos super simples

Como atrair mais visitantes para o seu site – 5 métodos super simples

7 principais estratégias de marketing digital

7 principais estratégias de marketing digital

Tamanho da postagem do blog: quanto você deve escrever?

Tamanho da postagem do blog: quanto você deve escrever?

8 melhores estratégias para marketing digital que você precisa saber

8 melhores estratégias para marketing digital que você precisa saber